Friday, November 19, 2010

Sir James Paul McCartney, domingo


Provavelmente esse será o último grande concerto que eu vou assistir. Depois dessa ocasião, o meu nível de exigências vai ficar muito mais elevado. Vão precisar ressucitar Lennon e o George, Elvis, Hendrix, John Bonham, Syd Barrett, o velho Farouk Bulsara e mais alguns para que eu tenha alguma vontade de sair de casa. Exceções serão feitas se eu tiver a oportunidade de vê-lo de novo, e de novo, e de novo, :).

Pra falar a verdade, eu nem estou encarando esse como um show de rock, nem como um show de um Beatle. É como receber a bênção do Papa para um católico, Beatlelado que sou. Talvez seja essa a minha religião, vai saber.

Sobre o Beatle Paul, a Ana Maria Bahiana escreveu algo que define muito adequadamente o que eu penso quando resenhou "O Garoto de Liverpool", sobre John:
Paul pode ser, curiosamente, mais complicado de interpretar, entre outros motivos porque, tendo sobrevivido à gloria e ao mito, permitiu que a vida deixasse mais exposta sua humanidade (viver, caras e caros, é muito mais difícil do que morrer jovem).
Não que tenha sido fácil pro John morrer, desnecessário dizer.

Vai ser uma pena que ele não vai tocar Wanderlust ou Deliver Your
Children? Vai, mas isso só vai reforçar o quanto sinto honrado em
ser um dos raríssimos que conhecem essas duas pérolas. E eu já nem
esperava que isso acontecesse mesmo.

Welcome to my very land, Sir! Take some seconds to admit you're an Evertonian in front of all of us :D